CARREGANDO DADOS

FATOS SOBRE A DOENÇA

Segundo o INCA, o câncer de pulmão é o segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma). Cerca de 13% de todos os casos novos de câncer são de pulmão.

Apesar de ser responsável por uma em cada cinco mortes por câncer no Brasil, nosso país ainda tem tido dificuldade em conseguir diagnosticar precocemente o câncer de pulmão (Instituto Oncoguia, 2018). Em 2016, 86,2% dos pacientes foram diagnosticados com a doença já em estágios avançados (III e IV) no país.

Na América Latina, um estudo publicado pela The Economist (The Economist, 2018) mostra que o câncer de pulmão é a principal causa de morte por câncer tanto em homens como em mulheres, combinados. O relatório apresentado mostra que o tabaco é o fator de risco dominante, já que é responsável por cerca de 64% dos cânceres de pulmão na região. Os outros 36% são atribuídos a problemas de saúde pública, como poluição, radônio residencial e o arsênico na água potável.

Tendo em vista esse cenário, o Instituto Oncoguia, em parceria com o CliqueSUS, desenvolveu uma ferramenta para que os interessados na temática possam encontrar dados consolidados e atualizados com frequência sobre o tema.

Essa ferramenta tem como objetivo disseminar informações sobre o câncer de pulmão, além de possibilitar o desenvolvimento de estratégias para o enfrentamento da doença, visando reduzir o número de casos e mortes por câncer de pulmão no Brasil.

A partir da consulta a diferentes bases, como o Global Cancer Observatory (Globocan), Ministério da Saúde (DataSUS) e Instituto Nacional do Câncer (INCA), produzimos informações atualizadas sobre incidência e mortalidade do câncer de pulmão, correlação entre tabaco e a doença, além de dados sobre atendimentos ambulatoriais e internações hospitalares no Brasil.

SOBRE O QUE VOCÊ QUER VER?
Estadiamento do Câncer
Lei dos 60 dias

Mostramos abaixo a porcentagem de pacientes que iniciam seus tratamentos com estadiamento III e IV.
Fonte: DataSUS

Mostramos abaixo a porcentagem de pacientes que tiveram a lei de 60 dias descumprida.
Fonte: Painel de Oncologia - 2021

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2021 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os procedimentos realizados em nível nacional no sistema público de saúde (SUS).

FONTE

Utilizamos os dados disponíveis no DATASUS referentes aos atendimentos de quimioterapia e radioterapia disponíveis nas bases SIASUS (Sistema de Informações Ambulatoriais de Saúde - SUS)
Acesse em: https://datasus.saude.gov.br/

COMO INTERPRETAR OS DADOS

Apresentamos os números referentes aos novos pacientes, esse número não corresponde ao número total de pacientes em tratamento por ano. As informações utilizadas para caracterizar os pacientes (faixa etária e município de residência) são as do momento do início do tratamento, sendo assim só é possível descrever essas características apresentando essa limitação e é importante reforçar que essas dados não necessariamente representam o cenário atual dos pacientes em tratamento.

PERFIL

No Brasil, 90,2% dos pacientes em tratamento (quimioterapia/radioterapia) estão acima dos 50 anos. Temos uma média de 8.779 pacientes iniciando seus tratamentos por ano, sendo que o ano de 2017 apresentou a maior quantidade de pacientes no período, sendo 9.857.

Faixa Etária
Por Ano
Por UF

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2019

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os pacientes tanto do sistema público quanto privado, possuem cobertura nacional, porém não possuem cobertura completa de todos os casos.

FONTE

Utilizamos os dados disponíveis no INCA referentes aos dados do RHC (Registro Hospitalar de Câncer). Os RHCs são centros de coleta, armazenamento, processamento e análise - de forma sistemática e contínua - de informações de pacientes atendidos em uma unidade hospitalar, com diagnóstico confirmado de câncer. A informação produzida em um RHC permite o monitoramento da assistência prestada ao paciente. Sua principal função é clínica, sendo um recurso para acompanhar e avaliar a qualidade do trabalho realizado nos hospitais, incluindo os resultados no tratamento do câncer. Para consolidação das informações, a maioria dos RHC utilizam o SisRHC, sistema para informatização dos dados, desenvolvido e disponibilizado pelo INCA.
Acesse em: https://www.inca.gov.br/numeros-de-cancer/registros-hospitalares-de-cancer-rhc

COMO INTERPRETAR OS DADOS

Pode-se analisar as diferenças do hábito de fumar de acordo com as caraterísticas dos pacientes, porém não podemos inferir somente com os dados apresentados que o hábito de fumar causa o câncer de pulmão, podemos apenas comentar que 80% dos pacientes que foram diagnosticados com câncer de pulmão apresentavam o hábito de fumar.

HÁBITOS

Os dados disponíveis correspondem a 92.420 casos. Ao analisarmos as informações reportadas sobre consumo de tabaco, temos que 47,9% dos pacientes possuem esse campo com informação preenchida.

Foi observado que 38,4% apresentavam hábitos de fumar (fumantes ou ex-fumantes) no momento do diagnóstico.

Faixa Etária
Por Sexo

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2020 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os pacientes tanto do sistema público quanto privado, possuem cobertura nacional.

FONTE

Utilizamos os dados do DATASUS referentes aos óbitos ocorridos, disponíveis nas bases SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade)
Acesse em: https://datasus.saude.gov.br/

COMO INTERPRETAR OS DADOS

Pode-se analisar o perfil dos pacientes que vieram a óbito devido ao câncer de pulmão, é possível com as informações apresentadas calcular a mortalidade (óbitos por habitantes) para esse tipo de câncer até o ano de 2018. Não se pode comparar a quantidade de óbitos com a quantidade de novos pacientes em tratamento, esses óbitos correspondem tanto a novos pacientes (incidência), como a pacientes que já estavam em tratamento (prevalência).

MORTALIDADE

Ao longo do período, foram observados 325.960 óbitos por câncer de pulmão. Quando observamos a taxa por 10 mil habitantes temos que o Brasil apresenta uma taxa de 7,7 óbitos por 10 mil habitantes. Os óbitos prematuros, de pacientes entre 30 a 69 anos, correspondem a 53,6% do total.

Pirâmide Etária
Por UF
Absoluto
Por 10 mil habitantes

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2021 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os procedimentos realizados em nível nacional no sistema público de saúde (SUS).

FONTE

Utilizamos os dados disponíveis no DATASUS referentes aos atendimentos de quimioterapia e radioterapia disponíveis nas bases SIASUS (Sistema de Informações Ambulatoriais de Saúde - SUS)
Acesse em: https://datasus.saude.gov.br/

COMO INTERPRETAR OS DADOS

Apresentamos os números referentes aos novos pacientes, esse número não corresponde ao número total de pacientes em tratamento por ano. As informações utilizadas para caracterizar os pacientes (faixa etária e município de residência) são as do momento do início do tratamento, sendo assim só é possível descrever essas características apresentando essa limitação e é importante reforçar que essas dados não necessariamente representam o cenário atual dos pacientes em tratamento.

TRATAMENTO

Sabemos a importância do início precoce do tratamento para a sobrevida do paciente, porém foi observado que os pacientes iniciam seus tratamentos, em sua maioria, em estadio avançado (III e IV), correspondendo a 85,6% do total de pacientes no período. Para o período, temos um total de 122.910 que iniciaram seus tratamentos (quimioterapia / radioterapia).

Por ano de atendimento
Por UF
Absoluto
Por 100 mil habitantes

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2021 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os procedimentos realizados em âmbito hospitalar e em nível nacional no sistema público de saúde (SUS).

FONTE

Utilizamos os dados disponíveis no DATASUS referentes às internações de pacientes com câncer de pulmão disponíveis nas bases SIHSUS (Sistema de Informações Hospitalares de Saúde - SUS)
Acesse em: https://datasus.saude.gov.br/

COMO INTERPRETAR OS DADOS

Apresentamos os números referentes a quantidade de internações, não é possível assumir que esse número corresponde ao número de pacientes internados, pois um mesmo paciente pode ser internado diversas vezes.

INTERNAÇÕES

No Brasil, observamos um total de 269.094 internações para tratamento do câncer de pulmão no período. Essas internações apresentam tempo médio de permanência de 7,8 dias. As internações apresentam um custo médio de R$ 1.401,65 e taxa média de mortalidade de 26,7%.

Valor Médio
Tempo Médio
Taxa de Mortalidade

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2013 a 2021 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os pacientes do sistema público de saúde, possuem cobertura nacional, porém não possuem cobertura completa de todos os casos.

FONTE

Utilizamos os dados disponíveis no INCA referentes aos dados do Painel-Oncologia. O painel foi construído a partir do relacionamento determinístico de informações diagnósticas e de tratamento obtidas no Sistema de Informação Ambulatorial, por meio do Boletim de Produção Ambulatorial Individualizado e da Autorização de Procedimento de Alta Complexidade, no Sistema de Informação Hospitalar e no Sistema de Informações de Câncer, utilizando-se o Cartão Nacional de Saúde e o diagnóstico de neoplasia como chave identificadora do caso.
Saiba mais em: https://www.inca.gov.br/publicacoes/relatorios/relatorio-painel-oncologia-2019

LEI DOS 60 DIAS

A Lei nº 12.732/12 (em vigor desde 23/05/2013) estabeleceu que o primeiro tratamento oncológico no SUS deve se iniciar no prazo máximo de 60 dias a partir da assinatura do laudo patológico ou em prazo menor conforme necessidade terapêutica do caso registrada no prontuário do paciente.

Considerando o Brasil, ao longo do período foi observado que 25,3% dos pacientes iniciaram seus tratamentos com tempo superior a 60 dias desde a data do diagnóstico.

Por ano de atendimento
Por UF

SOBRE OS DADOS

PERÍODO

Os dados apresentados correspondem aos anos de 2008 a 2021 (parcial)

REPRESENTATIVIDADE

Os dados representam os valores apresentados para tratamento do câncer pelas instituições de saúde ao longo do período e com cobertura nacional.

FONTE

Utilizamos os dados do DATASUS referentes aos atendimentos do sistema público, disponíveis nas bases SIASUS (Sistema de Informações Ambulatoriais - SUS) e SIHSUS (SIstema de Informações Hospitalares - SUS)
Acesse em: https://datasus.saude.gov.br/

COMO INTERPRETAR OS DADOS

O valor apresentado é diferente do valor reembolsado, o primeiro corresponde ao valor que o gestor solicitou para reembolso, sendo que este representa o valor que a instituição utilizou para o tratamento, porém não necessariamente esse valor será reembolsado por completo, esse reembolso segue as regras definidas pelo Ministério da Saúde.

SISTEMA PÚBLICO

O valor dos procedimentos realizados no SUS apresentado pelas instituições para reembolso ao longo do período é de R$ 1,2 bilhão. A quimioterapia representa 52,4% desse valor, seguida pelo custo hospitalar que representa 30,3%

(Clique nos estados para atualizar o gráfico de valores)

BRASIL